sexta-feira, 25 de maio de 2012


As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio – Enem 2012, começam na próxima segunda, 28, a partir das 10 hs da manhã. Os candidatos terão até as 23h59 do dia 15 de junho para se inscrever. A taxa é de R$ 35. Alunos de escolas públicas são isentos. As provas serão aplicadas nos dias 3 e 4 de novembro. O Enem é utilizado por muitas universidades públicas para oacesso ao ensino superior. Ontem, em Brasília, o ministro da educação, Aloizio Mercadante, anunciou as principais mudanças. A redação, por exemplo, terá novos critérios de correção.
Segundo o ministro, o MEC decidiu criar “filtros mais precisos para avaliar” a redação. A nota mínima que autoriza uma nova avaliação do texto foi reduzida e se criou a figura da banca de avaliadores. Nesta edição, o estudante também poderá ter acesso à redação corrigida, mas não terá direito a entrar com recurso. O ministério também vai elaborara um guia para os estudantes, com exemplos de redação e explicações sobre a metodologia da correção. Pelo novo sistema, cada prova será corrigida por dois avaliadores independentes, que avaliarão cinco competências. Caso as notas dos dois corretores tenha uma diferença de 200 pontos, a nota final será feita a partir de uma média aritmética das duas avaliações. Até o ano passado, a margem de dispersão era de 300 pontos (a nota final do Enem varia de 0 a 1.000). Caso a discrepância permaneça, uma banca, formada por três avaliadores, corrige novamente o texto, e determinam a nota final do candidato.
São cinco competências e cada uma vale 200. Se as duas notas finais (a soma das cinco competências) tiverem uma diferença superior a 200 pontos entre os dois avaliadores, o terceiro corretor também atua. Em persistindo a discrepância, o texto vai para a banca. Esta é a segunda mudança na diferença mínima de pontos para uma nova correção da redação.
Nas edições de 2009 e 2010, era preciso que os dois corretores dessem notas com no mínimo 500 pontos de discrepância entre uma e outra para que houvesse uma nova avaliação. No ano passado, o limite caiu para 300; agora, são 200 pontos. De acordo com o MEC, as redações terão que ter um mínimo de sete linhas para poderem ser corrigidas. Para executar o novo sistema, Mercadante anunciou a contratação de 1.200 novos corretores, um aumento de 40% no quadro de avaliadores.
O edital com as novas regras será publicado no “Diário Oficial da União” de sexta-feira (25). “Discutimos intensamente para chegar a essas conclusões e estamos bastante preparados para enfrentar este grande desafio de fazer o Enem mais seguro com mais tranquilidade para os jovens que vão participar desse processo”, disse Mercadante.
O ministro destacou também um incremento no processo de fiscalização e segurança do Enem para evitar problemas como no ano passado, quando questões do pré-teste vazaram e apareceram em apostilas de um colégio de Fortaleza (CE) onde foram aplicados. “Mudamos nossa metodologia para ter mais segurança no pré-teste”, disse. “Temos certeza de que esse risco hoje não está presente. Fazendo com todo sigilo e todo rigor. Banco de itens é um cofre do MEC que tem que ser preservado como cofre. Temos uma metodologia segura e rigorosa para não termos problemas como no passado.”
Aloizio Mercadante disse ainda que os pontos de atenção que o MEC deve ter em relação à segurança do Enem passaram de 1.200 itens para 3.439 itens. “Praticamente triplicamos o rigor de fiscalização”, avaliou. Ele afirmou, durante a coletiva, que o Brasil está atrasado em relação a exames semelhantes realizados em países como Estados Unidos, China, Alemanha, França e Reino Unido. E que, além de estar menos preparado, o Brasil tem como principal desafio a gestão e a logística de aplicar uma prova para mais de 5 milhões de pessoas em todo o território brasileiro (em 2011, o MEC recebeu 5,4 milhões de inscrições).
POLÊMICA
O Ministério da Educação decidiu após uma polêmica judicial, em janeiro deste ano, cancelar a primeira edição do Enem de 2012, prevista para abril. Uma portaria de 18 de maio de 2011 havia anunciado que, a partir de 2012, o Enem seria realizado duas vezes por ano. A mesma portaria havia fixado a data da primeira edição do exame para os dias 28 e 29 de abril.
Série Diário Enem estimula os estudos
O Ministério da Educação alterou o método de correção da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). As tão questionadas discrepâncias entre as notas foram revistas. Na última edição inúmeros processos judiciais foram abertos por candidatos que questionaram as notas que receberam, algumas correções pontuavam bem, outras medianas e outras muito mal. Segundo o MEC, a mudança deverá aumentar o número de redações revisadas e exigir mais rigor nas correções.
A professora de Língua Portuguesa, Jeane Saraiva, garante que há muitos questionamentos sobre as correções da redação. “São professores de todo o Brasil que revisam as redações, tem até correção via internet. Sempre tivemos um pé atrás com essa correção porque cada profissional considera importante um item diferente”, explica.

Nenhum comentário: